Pequenos negócios geraram 100% das vagas de emprego no Tocantins em março
04/05/2018 17:48 em Novidades

Segundo CAGED, no mês de março, todas as vagas de trabalho criadas no Tocantins foram provenientes de microempresas. 

Pelo terceiro mês consecutivo, os pequenos negócios lideraram a geração de empregos no Brasil. No Tocantins, não foi diferente. As microempresas geraram mais 300 novos postos de trabalho somente no mês de março.                                            

De acordo com a gerente de atendimento e soluções do Sebrae no Tocantins, Bárbara Nunes, existem dois tipos de empreendedorismo. “Hoje existem dois tipos de empreendedorismo: por oportunidade, que considera o momento em que o empreendedor decide mudar de área e abrir um negócio próprio que lhe parece promissor ou por necessidade, nos casos dos trabalhadores que ficam desempregados e enxergam no negócio próprio a solução para ter uma renda mensal. Estamos vivendo uma retomada da economia e os empreendedores por necessidade estão em alta”, explicou.

Foi o que aconteceu com o empreendedor Arlindo Galvão, que procurou o Sebrae em 2016 para se formalizar como Microempreendedor Individual (MEI) e abriu uma lanchonete. “Comecei a servir os pratos feitos, famosos “PFs”, na hora do almoço na minha lanchonete. A clientela cresceu e passei a trabalhar com self service. Foi nesse momento que percebi que meu negócio estava aumentando e precisei contratar funcionários”, explicou Galvão que passou de MEI para microempresário e hoje emprega cinco funcionários.

Números

Acompanhando o crescimento nacional, neste ano, o Tocantins contabilizou 79 mil Pequenos Negócios, sendo 50 mil Microempreendedores Individuais (MEIs), quase 24 mil Microempresas (ME) e pouco mais de cinco mil Empresas de Pequeno Porte (EPP). Conforme dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), as mais de trezentas vagas de emprego geradas em março de 2018 foram oriundas de microempresas. O setor que mais empregou foi o de serviços que empregou mais de 75% desses trabalhadores, seguido pela indústria com 22% e pelo comercio com 3%.

Outros dados também confirmam a participação dos pequenos negócios na geração de empregos. Em um estudo elaborado por uma instituição financeira e divulgado no mês de abril, com base na expectativa de crescimento na quantidade de trabalhadores ocupada no Brasil e no aumento esperado do número de novas empresas no país, revelou que os empreendedores deverão ser os principais responsáveis pelo alento esperado no mercado de trabalho em 2018. Das 2 milhões vagas a serem abertas, 1 milhão dos empregos serão criados por empregadores, trabalhadores por conta própria e microempresas.

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!